Entre a arte e a ficção:Maricá na rota de gravações de cinema e tv ao longo da história


Maricá é um lugar com belezas naturais, como cachoeiras, matas, restinga e belas
praias. Por tais razões, ao longo de décadas, vem servindo de locação para diversa
gravações televisivas e cinematográficas, tendo sido construída aqui uma cidade
cenográfica, da antiga rede Manchete, na localidade dos Cajueiros.
A Rede Manchete, também conhecida como TV Manchete, foi fundada no início
dos anos de 1980 e extinta em 1999, sendo pertencente ao Grupo Bloch, com sede na
cidade do Rio de Janeiro. O vasto terreno onde foi construída a cidade cenográfica de
Maricá foi adquirido em 1994, com um investimento de mais de 6 milhões de reais, sendo
palco para as gravações externas de três novelas da emissora: “Tocaia Grande” (1995),
“Xica da Silva” (1996) e “Mandacaru” (1997), tendo vários moradores atuando como
figurantes.
Após o agravamento da crise dos negócios da emissora, o local ficou abandonado.
Cabe ressaltar que a região era chamada pelos indígenas de “Tangarana”, devido à
existência de uma árvore tropical majestosa e florida presente na região. Mais tarde,
passou a ser denominada pelos moradores de “Pau-formiga”, nome popular da planta que
ainda podemos encontrar na localidade.
“Tocaia Grande” foi exibida de 16 de outubro de 1995 a 16 de setembro de 1996.
Narra a história de uma cidade no sul da Bahia em uma época em que as plantações de
cacau eram adubadas com sangue. A história conta a disputa pela terra e pelo domínio
político entre os coronéis Boaventura Amaral e Elias Daltro. Tudo começa quando
Natário da Fonseca quer deixar de ser jagunço para virar coronel. Atualmente, Itabuna
tem uma área total de mais 430 mil km², sendo a quinta cidade mais populosa do estado.
“Xica da Silva”, uma novela exportada para diversos países, teve como
protagonista a estreante Thaís Araújo, sendo exibida entre 17 de setembro de 1996 a 11
de agosto de 1997. Conta a história de uma escrava que ascendeu socialmente em meio
ao século XVIII, destacando as questões da época, o negócio de diamantes, a luta pela
liberdade, na região de “Arraial do Tijuco”.
2
“Mandacaru” foi exibida entre 12 de agosto de 1997 a 8 de agosto de 1998, sendo
estrelada por Victor Wagner, Carla Regina e Murilo Rosa. A história é inspirada no
cangaço, um movimento social característico do nordeste brasileiro, ocorrido nos séculos
XIX e XX, sendo relacionado às figuras de liderança de Lampião e Maria Bonita. Passase na cidade fictícia de Jatobá, em 1938, ano em que Lampião foi assassinado. A novela
apresenta o universo nordestino sob a ótica dos cangaceiros, fazendo um resgate histórico
da região. O nome “Mandacaru” se refere à planta que resiste às fortes secas, indicando
características da trama.
Algumas novelas de Rede Globo de Televisão também foram gravadas em
território maricaense, como “Fogo sobre terra”, tendo sua cidade cenográfica no bairro
da Barra de Maricá, uma vila de pescadores que possuía cerca de 30 casas, que acabou se
tornando uma atração turística, recebendo visitantes aos finais de semana. Terminada a
novela, a região foi denominada de “Divinéia”, nome da cidade fictícia retratada na trama.
Foi exibida entre 6 de maio de 1974 e 4 de janeiro de 1975, escrita por Janete Clair,
durante a ditadura civil-militar, inclusive tendo sofrido os efeitos da censura. A novela
enfocou questões socioambientais, ao abordar o processo de construção de uma represa,
que inundaria a cidade, localizada às margens do Rio Jurapori, no sertão do Mato Grosso,
com atuação de Regina Duarte e Juca de Oliveira.
A novela “Pai Herói” foi exibida de 29 de janeiro a 18 de agosto de 1979, sendo
escrita também por Janete Clair, além de contar com as atuações de Tony Ramos,
Elizabeth Savala, Paulo Autran e Glória Menezes. Suas cenas foram gravadas nos
municípios de Maricá, Nilópolis, São José do Vale do Rio Preto e Rio de Janeiro. O
enredo trata da história de André Cajarana, que é encontrado no orfanato pelo avô paterno,
passando a ser criado com a ilusão de que seu pai era um herói, algo que foi desconstruído
ao conhecer a realidade em busca de sua identidade.
No município de Maricá foram gravados vários filmes, como, por exemplo, “Aos
pedaços”, “Os Farofeiros”, “História de um crime”, “Medida Provisória”, “Os malês”,
“Minutos atrás”, assim como as séries “Shippados” e “Gabriela”. O filme “Ouro Negro”
também utilizou a cidade como cenário para as suas cenas, inclusive com sua equipe, na
época, tendo utilizado o CEM Joana Benedicta Rangel como base e local de alimentação
da equipe. Em breve, servirá como cidade cenográfica para a gravação de um filme sobre
a pintora mexicana Frida Kahlo, com a participação de artistas locais.
As produções de televisão e de cinema são importantes para a valorização das
belezas locais, rompendo fronteiras geográficas, divulgando culturas e histórias para
3
conhecimento do grande público, além de deixar lembranças e memórias entre os
habitantes da região.

Cidade cenográfica da Rede Manchete, em Maricá, ambientada para as gravações de
“Tocaia Grande”
(Acervo: Rede Manchete)

Cidade cenográfica da TV Manchete na cidade de Maricá, localizada na região dos
Cajueiros
(Fonte: Internet)

Cenas finais de “Fogo sobre Terra”
(Fonte: Internet)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s