Prefeitura de Maricá transfere moradores abrigados em escola para pousadas da cidade

Secretaria de Habitação também auxilia famílias, que ganharam aluguel social, na busca de imóveis

A Prefeitura de Maricá iniciou na segunda-feira (04/03) a transferência de 53 moradores que estavam abrigados no Centro Educacional Joana Benedicta Rangel, no Centro, para pousadas da cidade. A medida está sendo conduzida Secretaria de Habitação e visa proporcionar mais conforto às pessoas até que consigam retornar para suas casas ou encontrem, com auxílio dos técnicos, imóveis para alugar. Os moradores das 24 famílias atendidas estão hospedados em três pousadas: Maricá, Pacho e Via Mar.

O aluguel social, de 1.500 pagos em moeda Mumbuca (equivalente a 1.500 reais), já foi creditado na conta de 60 famílias que tiveram suas casas interditadas pela Defesa Civil devido às fortes chuvas.

“Estamos realizando um conjunto de ações e todas as nossas equipes da Defesa Civil, Assistência Social, Habitação e Conservação Urbana estão nas ruas, trabalhando para minimizar os problemas e diminuir o impacto que as chuvas tiveram na vida das pessoas”, disse o prefeito Fabiano Horta.

Levada para uma das pousadas com o filho de 12 anos, a moradora Ana Caroline Alexandre, 36 anos, perdeu a casa em Itapeba com todos os móveis e eletrodomésticos. Ela ficou abrigada dois dias na escola Joana Benedicta e elogiou o acolhimento.

“Nós tivemos o acolhimento imediato no colégio Joana com local para dormir e alimentação, onde o coração foi acalentado. Na segunda-feira tivemos a surpresa de sermos realocados para essa pousada com todo o conforto. Pude tomar um banho quente e descansar um pouco mais. Agora com a cabeça mais tranquila e acolhidos, poderei ir à procura de um novo local para morar”, contou.

Polos de atendimento

Na segunda-feira (04/04), o prefeito Fabiano Horta definiu diversas ações e a descentralização do atendimento aos moradores com a instalação de cinco polos para cadastramento das famílias que foram atingidas pelas chuvas.

O secretário de Habitação, Vitor Maia, visitou a Arena Flamengo e reforçou que o aluguel social já está sendo pago às vítimas que não têm condições de retornar a suas casas, por terem sido interditadas pela Defesa Civil Municipal.  “É importante lembrar que nos primeiros dois dias, sábado e domingo, nossas equipes realizaram buscas ativas para localizar essas pessoas. Algumas delas já começaram a se mudar para novas casas e outras continuam alojadas”, ressaltou.

Moradora das Pedreiras, Maria da Conceição Pina, 63 anos, levou para casa um kit de limpeza para higienizar o imóvel, que foi invadido pela água. “O governo não tem como impedir o que Deus manda, como a chuva, mas esta ação é muito bem-vinda e vai ajudar muita gente. Isso mostra a preocupação com as pessoas”, afirmou.

As famílias em situação de vulnerabilidade, que perderam bens materiais e também tiveram danos estruturais em suas residências, devem procurar os polos mais próximos de suas residências. Os polos contam com equipes multidisciplinares da Defesa Civil e das Secretarias de Habitação, Direitos Humanos, Assistência Social e Secretaria de Economia Solidária, que estarão abertos das 9h às 17h, nos seguintes locais:

•    Quadra do CÉU (Mumbuca);
•    Arena Flamengo (Flamengo);
•    Escola Alcione Rangel (Bambuí);
•    Escola Alfredo Nicolau (Marquês de Maricá)
•    Escola Amanda Pena, Bananal (Ponta Negra)

Fotos com link, crédito: Evelen Gouvêa e Marcos Fabrício: https://www.flickr.com/photos/prefeiturademarica/sets/72177720297886629/ e

Deixe uma resposta